Pergunta à Ana! Consultório Sentimental Parte 2

Tal como vem sido hábito reunimos uma vez mais alguns emails de questões que vão ser respondidas na parte dedicada ao consultório sentimental. Hoje reunimos algumas questões que vão ser respondidas pela Dr.ª Ana Escapadinha, cujo objectivo é a promoção de encontros felizes.

Uma especialista que já deu provas com anos de experiência dentro e fora do consultório, uma verdadeira “pro” na orientação das pessoas para a fuga quando uma relação está verdadeiramente a dar para o “torto”. A referir, que alteramos os nomes para respeitar a privacidade dos intervenientes.

"Querida Ana, vê se podes-me ajudar por favor. Eu, nos anos de faculdade, eu era sexualmente aventureira, para dizer o mínimo. Nos meus 20 e poucos anos, encontrei o caminho de volta para minha igreja e decidi começar de novo. Queria ter encontros felizes com alguém mais decente. Comecei a assentar as ideias, julgo eu e esperar até o casamento. Conheci o meu agora marido no grupo de solteiros da igreja e estamos casados há pouco mais de um ano. Ele não sabe nada do meu passado sexual e por outro lado eu não sinto que era necessariamente da conta dele, e ele nunca me perguntou. No entanto, ele era virgem quando nos casamos é aí que está o problema. Ele é realmente péssimo na cama. Eu tentei sugerir ideias para apimentar as coisas, mas ele parece confuso demais, quando eu faço alguma coisa. Além disso, quando eu fiz algumas sugestões, para dizer posições, ele pergunta como eu pensaria em algo assim. Então eu disse-lhe que leria sobre isso online, e ele ficou preocupado de ver pornografia! Não quero contar-lhe sobre meu passado, mas não quero passar o resto da minha vida em missionário, quando existem tantas outras opções. E bem mais interessantes! Se eu revelar muito conhecimento sobre actos sexuais que não realizamos, tenho certeza de que ele vai desconfiar! Vai achar que era muito rodada. Tenho receio que ele pode pôr em causa que ele não se devia ter casado comigo. Não sei como abordar isto. Existem outras maneiras pelas quais eu poderia deixar uma dica, sem revelar muito sobre o meu próprio passado?"
icon woman
Mulher Libertina
32, Laranjeiro
casal

Ana E, Antes demais obrigada por enviar a sua dúvida! Nunca entenderei pessoas que não fazem o “test drive” antes de comprar o “veículo”. Quando diz que ele não sabe nada do seu passado, não sei se quer dizer que ele não conhece os detalhes ou se pensava como ele. Por outro lado, o seu passado sexual não lhe diz respeito pelo menos directamente. Se aceita que o facto de ter tido uma “vida sexual” é recriminador, então casou-se sob falsas pretensões. Esse problema vai além de ele ser inexperiente; ele não está interessado em se tornar experiente. Então vocês dois podem ter uma incompatibilidade fundamental. Decerto é uma questão a ponderar. Se por um lado deviriam ter tido encontros felizes e quentes, teriam mais “informação” para agora decidir. Se é falta de compatibilidade ou se ele vai evoluir na experiência sexual. Precisa de ter alguma honestidade neste casamento. Sem entrar em números ou detalhes (e não seja intimidado a revelá-los), se diz a ele que sabe sobre sexo porque já teve. Certamente se revelar algum conhecimento sobre o assunto e ele cooperar, será mais interessante essa vida a “dois”. Diga-lhe que a sua experiência pode tornar o seu casamento muito mais emocionante e deseja explorar sexualmente com ele. Contudo esteja atenta há outra possibilidade. Se não obstante as suas tentativas e sugestões não funcionarem. Ele pensa que é uma ” mercadoria danificada”, então que favor ele lhe fará. Nesse caso aconselho-a a retirar-se agora.

Ana E, Agradeço-lhe o envio do email, e depois de o ler terei que lhe “dar” uma enorme bandeira vermelha. Vocês dois podem ficar viciados em desemprego se os seus e-mails de trabalho caírem em mãos erradas. Evidentemente que ainda não pensou nisso. Se isso pelo que relata é uma brincadeira pense que pode trazer um travo bem amargo, a ambos. Pelas vezes que esse tipo de coisa aconteceu, parece-me que isso deverá parar imediatamente! Além disso parece-me que é um participante disposto a isso, não pense que poderia se esconder atrás de assédio sexual se ambos acabarem a ser despedidos. Decerto que brincadeiras há muitas, empregos há poucos e ainda menos nesta altura que atravessamos. Cada um tem o seu papel a desempenhar na empresa, e até onde eu sei, eles não estão com um serviço de sexo por telefone. Portanto, pense para onde isso está a caminhar, as suas comunicações com classificação X são uma bomba-relógio. Além de que os vossos casamentos mais tarde ou mais cedo vão se ressentir. O meu último conselho para si, pare com o lixo "viciado". Da próxima vez que o seu atrevido conspirador ligar, diga: “Temos que parar com isso imediatamente.” Comece logo ali. Se precisar de uma ajuda profissional não hesite em procurar.
icon woman
Trabalho perturbado
29, Santa Maria da Feira
assediada

Ana E, Ana estou a enviar este email para me dar uma luz. Eu acho que gosto de ser assediada sexualmente ? Eu trabalho como despachante de numa empresa de mercadorias. Estou em constante contacto com os distribuidores. Anedotas, piadas “secas” e bajulice são comuns no escritório entre as despachantes e os homens que andam na estrada. Um deles tem levado a brincadeira longe demais e envia mensagens e áudios, algumas muito explícitas para mim. … Ele quer levar-me para um quarto de hotel, pergunta-me como sou na cama. Ele está sempre nisso, diz-me que sou sexy (nosso contacto é 100% por telefone e por e-mail). Não posso evitar, mas gosto! As minhas amigas já me avisaram... Eu sei bem disso , mas estou habituada a receber aquelas mensagens todas logo de manha ate me dá mais vontade de ir trabalhar. Mas não posso deixar de ficar excitada com tudo isso. Pior ainda, nós dois somos casados e ele e a esposa têm um filho. Sinto como se estivesse traindo meu marido participando dessas conversas atrevidas. Sinceramente, não sei o que fazer. Eu sinto que estou viciada nos comentários sexuais dele, mas também sou viciada no meu marido. Queria que a Ana me desse um conselho.

"Tenho 41 anos e não sou virgem, mas é quase como se fosse, já que só dormi com uma gaja na minha vida. E já lá vão uns 5 anos. Depois disto acho que me tornei um punheteiro profissional já que quase todos os dias bato uma. E é aqui que está a minha dúvida é que isto deve-me afastar do sexo oposto. Sei que isto é normal para os homens. Mas parte de mim diz que se tentasse ver menos porno e procurasse outras coisas. Agora com esta situação da pandemia isto não me está a fazer bem. Quando penso nisto, parte de mim apela ao prazer mediato da autossatisfação, já que parece ser a solução mais económica nestes tempos de crise. Por outro lado até tenho tentado na nossa era digital procurar soluções online ao problema. Mas nos sites tem que se pagar outros e só aparecem “malucas” que procuram para uma noite a troca de valores aos quais não posso por falta de capital e por o princípio de “não pagar por sexo”. Dr.ª Ana , ajude-me sinto-me um punheteiro que afasta mulheres ou simplesmente um homem que não “pesca” nada?"
man icon
Mulher Triste
47, Porto
homem de 40 anos

Ana E, Obrigada pelo seu email. Esta situação é mais comum do que o que poderá pensar. Antes demais terá que pensar se pretende mesmo sair dessa situação? Pode decerto parecer algo descabido, contudo asseguro-lhe que existe uma quantidade de homens que estão acomodados a essa vivência. Por outras palavras, pense que para reverter essa situação terá que fazer alguns “sacrifícios”. Com certeza que não estou a falar de “pagar por sexo” mas conquistar uma mulher ou melhor, adequar-se a uma mulher. O que posso dizer-lhe, e asseguro-lhe que este foi uma questão que me colocaram ao longo de anos, tudo depende de realmente querer. No seu email não fica explicito se pretende sexo ou se pretende ter uma namorada. Assim vou depreender que pretende conhecer mulheres disponíveis e que exista interesse. Certamente vai precisar de ser paciente e resiliente quando os “nãos” surgirem . Outra dica seria usar a técnica do “funil” conhecer muitas mulheres para depois ter a “sorte” e conhecer a pessoa “especial”. Se considera que é importante uma mulher preencher alguns espaços da sua vida, cabe a si vencer esse medo. Outras opções são as online como, Tinder, Felizes, Alma-gemea, Match, etc. Experimente, atendendo à conjuntura actual será uma opção que preenche os requisitos todos. Como privacidade, segurança, além de poder levar as técnicas de sedução de forma mais ponderada e controlada.

"Ana, preciso de ajuda e de um conselho em condições. O meu ex-marido casou-se novamente e começou uma nova família. Ate aí tudo bem, que ele tenha refeito a sua vida, ate porque o nosso relacionamento não era feliz. Quando nos casamos, ele estava sempre mal-humorado. As desculpas para beber eram mais que muitas, bebia demais e às vezes ficava com tanta raiva que ele partia as coisas lá em casa. Agora ele é um “ursinho carinhoso”da sua nova esposa, que por acaso é mais jovem. Ele também ajuda muito mais os filhos do que com os nossos. Os nossos próprios adolescentes observaram o quanto o pai deles está mais envolvido com os outros novos . Parece amargo e rancoroso da minha parte me ressentir da nova esposa do meu ex e dos filhos dela. Afinal porque eles obtêm o resultado final do que eu tolerava há anos, mas não posso deixar de ter ciúmes. Como supero esses sentimentos de ressentimento por uma mulher reconhecidamente muito boa?"
icon woman
A Irada
45, Massamá
marido bom

Ana E, Entendo perfeitamente que esteja ressentida. O seu bêbado e mal-humorado ex-marido, se tenha transformado num príncipe útil. E é claro que seus filhos sentem que foram enganados. Mas a boa notícia é que ele ainda é o pai deles e eles têm a possibilidade de ter um relacionamento melhor com ele. Isso não desfaz o seu comportamento passado, mas é uma lição para eles que as pessoas podem mudar. Aproveite a parte positiva e tente esquecer o passado. Acredite que as coisas podem ser curadas. Isso pode ajudá-lo se incentivou os seus filhos a cultivar os seus relacionamentos com o pai melhorado e os novos meios-irmãos. Certamente que reconhece que a nova esposa dele é adorável. Aceite e vá adiante. Portanto, reconhecer que ter boas pessoas nas suas vidas é um benefício para os seus filhos. Especialmente porque eles sofreram turbulência no início. Em vez de tentar extinguir seu ressentimento, aceite que é normal que se sinta assim. Contudo não interfira na maneira como seus filhos se relacionam com seu ex.

"Ana , prepara-te e ao leres este email espero que estejas sentada. O meu marido e eu estamos juntos há 11 anos e compartilhamos quatro filhos lindos. Ele tem também tem um histórico de "problemas" com o álcool. Apesar dele ter orgulho em dizer que está há vários anos sóbrio . Desde que ele ficou limpo e sóbrio, ele tem um problema em se manter forte durante o ato. E isso, Ana ele não se aguenta “duro” - ele não tem problema em chegar lá, na verdade, muitas vezes eu o pego lá. No entanto, quando começamos (em dois minutos), ele perde-se e volta ao inicio, se é que me entende. Tudo isto está a deixar o nosso relacionamento feliz. A minha auto-estima é baixa, eu fico satisfeita com todos os elogios e assobios de outros. Devido ao facto de ficar frustrada entre 4 paredes. Para piorar no outro dia, encontrei por acaso XXX links de vídeo no smartphone dele. Isso acabou por me incomodar, então perguntei-lhe o que estava a acontecer. Ele disse que eu nunca quero estar com ele, então ele tem que se satisfazer de alguma forma. Isso deixou-me com raiva e eu o agredi ... não severamente, mas disse a ele o que estava a pensar. Acabei de estragar o nosso relacionamento. Eu disse-lhe que a sua falta de “tusa” me deixava frustrada. Quando isso acontece e acontece com frequência, odeio vê-lo ficar tão chateado e com raiva de si mesmo. Ele também ficou um pouco chateado, e então eu perguntei, sou eu? Lembrei-lhe de que eu tive quatro filhos ... Não sei o que fazer, Ana. Eu absolutamente amo e adoro meu marido, mas se eu não obtiver algum alívio logo, tenho medo de sair e encontrar as respostas por conta própria."
icon woman
Triste
47, Porto
sexo chato

Ana E, Antes de tudo, seu marido precisa de um check-up. Se tudo der certo, ele precisa conversar com o seu médico. Após verificar a prescrição médica. Deverá ter em consideração se a nível de doença e as suas consequências poderá ter procedimentos para melhorar a vossa vida sexual. Certamente isso se irá traduzir na melhoria do relacionamento do casal. Esse tipo de coisa pode ser uma espiral descendente para um homem. Suas preocupações em manter uma ereção quase garantem que ele não o fará. Se pretende aprofundar os seus conhecimentos, procure sobre aconselhamento sexual técnicas para ajudá-lo. Provavelmente vocês dois possam se beneficiar de algumas visitas com um terapeuta sexual. Contudo tem que se lembrar que o que ambos precisam é de ternura e compreensão um com o outro. Alem de que a pior coisa que vocês dois podem fazer é endurecer seus corações um contra o outro.

""Ana podia-me dar o seu conselho? Eu namorei um homem por quatro meses e percebi-me recentemente que ele se apaixonou muito mais por mim do que por ele. Tanto que, na verdade, há aqui uma grande diferença de idades entre nós. Eu confesso que no inicio me dava um certo gozo conquistá-lo. Os nossos encontros eram felizes regados a álcool e muito sexo à mistura. Mas parece que agora a magia acabou. E na verdade sinto-me pressionada a dizer -lhe que o amo. E continua nesta coisa “languida” de casal meloso. Ele pede-me que fale sobre " o nosso futuro" juntos ... e ele está a dizer há semanas que está "a fazer" algo para o Dia dos Namorados. Estou chegando aos 44, divorciada (13 anos mais nova que ele) e não tenho pressa em me acalmar. Eu para não acabar de vez, tentei interromper o relacionamento. Ele está a agir como se “nada fosse” como se tivesse que lutar para me reconquistar e não percebe que estou determinada. Eu não quero estar com ele. Por exemplo pelas 9 horas da manhã, montes de mensagens e postagens aleatórias na sua página no Facebook com mensagens "passivas - agressivas" sobre como vale a pena lutar pelo amor verdadeiro. Na verdade, está já a irritar e assustar ao mesmo tempo. Dicas sobre como tornar isso o mais indolor possível para mim? Eu quero ser consistente e honesta. Mas estou farta desta “falta de noção”, só espero que não tenha que ser explicita com ele. Por favor peço a sua ajuda."
icon woman
Larga já
44, Portimão
mulher

Ana E, Parece-me francamente que esse homem está emocionalmente dependente de si. De acordo com o que escreve no email ele finge que não entende que quer acabar. Parece-me que o melhor é ser progressiva nesse afastamento. Por outro lado se ele começar mesmo a persegui-la aí terá que ter mais cuidado Sendo assim se lhe disser que acabou e, infelizmente, ele não entender como ate aqui. Aconselho-a pela maneira como as coisas foram, vocês dois não poderão entrar em contacto e ele precisa interromper toda a aproximação consigo imediatamente. O melhor será mesmo bloqueá-lo e afastar-se. Parece para ele a perseguir e mantenha cópias de tudo o que ele enviou. Se ele não for embora da sua vida, terá mesmo que ir à polícia.

raparigas

A Dr.ª Ana Escapadinha  é uma especialista na área do coração e há muitos anos dedicada a responder às perguntas a ela endereçadas. Está preparada para “encarar” qualquer problema emocional, relacionado com namoro e relacionamentos, que envolva sexo e vida a dois. Se tem alguma dúvida que pretenda ver esclarecida, envie emails ou deixe na caixa de comentários. Envie as suas dúvidas para serem respondidas e aconselhadas e assim se continuar com estes artigos.

Encontros felizes são possíveis!

Deixe uma resposta